Placa Sinalização Condomínios

www.placassinal.com.br

(11) 3326-3000

Faturamos Condomínios

Fazemos Placas Personalizadas

Placas Rota de Fuga

Placa Rota Fuga

Placas Extintores

Placas Extintores

Placas Garagem

Placa Atenção Portão Automático

Placas Elevadores

Placa Sinalização Elevadores

Placas Lixo

Placa Lixo Orgânico

Fita Antiderrapante

Fita Antiderrapante Preta

Placa Internas Prédio

Placa Sinalização Identifique-se Interfone

 

Placa Condomínios – Elevadores, Banheiro, Extintor, Rota de Fuga, Velocidade

Placas Sinal

www.placassinal.com.br

(11) 3662-3622 – Placas@placassinal.com.br

Placas Sinalização Condomínios - Personalizamos Placas 

 

Placa Sinalização Elevador

Placas Sinalização Rota Fuga

Placas Extintores Certificadas

Placa Extintor Certificada

Placa Rota de Fuga 

Placa Rota de Fuga Certificada

Placa Garagem Velocidade

Placa Velocidade Garagem

Placa Andar Fotoluminescentes

Placa Andares Fotoluminescentes

Placa Lixo Reciclável

Placa Lixo Organico

Placa Banheiro Cadeirante

Placa Cadeirante Acessibilidade

QUEM SOMOS | NBR 13434-3 Atualização da Certificação | Placas Sinal – Especializada em Placas Prontas | Exemplo de Colocação Placas Rota Fuga | Placas Sinalização Perigo | Lei 14955 Proibido Entrar Capacete Placa Sinalização Elevadores   | Sinalização Nr 18 Perigo EPIS Construção

Placa Sinalização Extintores NBR 13434-3

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO - COMANDO DO CORPO DE BOMBEIROS DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO
CONSULTA TÉCNICA nº CCB-006/600/12

ASSUNTO: Sinalização de Emergência

LEGISLAÇÃO REFERENTE  - Decreto Estadual 56.819 de 2011
Instrução Técnica 20 de 2011

DOCUMENTO: Mensagem eletrônica da empresa EVERGLOW
Consulta do Sr José de Paula Ferraz Neto, proprietário da empresa EVERGLOW:
O Corpo de Bombeiros foi questionado sobre a qualidade das sinalizações de emergência
que estão sendo instaladas nas edificações e áreas de risco, mencionando que diversas não atendem a Instrução Técnica nº20 de 2011 e NBR 13343-3 de 2005, quanto à sua capacidade de fotoluminescência, e quanto às características de identificação do fabricante previstos em norma brasileira.
Resposta:
Considerando que a IT/CB 20 de 2011 não exige a marcação e rotulagem das sinalizações de emergência que hoje são instaladas nas edificações e áreas de risco, e que realmente é difícil avaliar se a sinalização de emergência atende o requisito mínimo de fotoluminescência, o DSCI resolve que, doravante, toda sinalização de emergência instalada nas edificações e áreas de risco deverão possuir a marcação e rotulagem conforme a norma brasileira, NBR 13434-3 de 2005 item 6, onde os elementos de sinalização devem ser identificados, de forma legível, na face exposta, com a
identificação do fabricante (nome do fabricante ou marca registrada ou número do CNPJ – Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).
Adicionalmente, os elementos de sinalização com características fotoluminescente devem apresentar os seguintes dados:
a) intensidade luminosa em milicandelas por metro quadrado, a 10 min e 60 min após
remoção da extinção de luz a 22°C +/- 3°C;
b) tempo de atenuação, em minutos, 22°C +/- 3°C;
c) cor durante a excitação, conforme DIN 67510-1; e
d) cor da fotoluminescência, conforme DIN 67510-1.

São Paulo, 22 de março de 2012.
CASSIO ROBERTO ARMANI
Ten Cel PM Chefe
Em ______/_______/________.
De acordo. Publique-se.
REGINALDO CAMPOS REPULHO
Cel PM Comandante

 

 

Sinalização Fotoluminescente Certificadas Pó químico - use em liquidos Inflámaveis e equipamentos Elétricos

Sinalização Fotoluminescente Certificadas Pó químico – use em liquidos Inflámaveis e equipamentos Elétricos

extagua poquimc

Sinalização Extintores Pó Químico, Co2, Agua

Sinalização Extintores Pó Químico, Co2, Agua

 

Ação pede multa para prédios públicos sem alvará dos bombeiros

Segundo MP, 110 prédios públicos ainda não têm laudo dos bombeiros.

Promotor pede prazo sob pena de multa diária por prédio irregular.

 Comente agora

A Promotoria abriu uma ação civil pública contra a prefeitura de São José do Rio Preto (SP) por causa da demora em resolver a falta de alvarás nos prédios municipais. O Ministério Público investiga o caso. Segundo o MP, 110 prédios de responsabilidade do executivo ainda não têm laudo dos bombeiros e por isso não deveriam funcionar. Nos últimos 12 meses, somente pouco mais de 30 locais tiveram a situação regularizada.

Agora, o promotor Sérgio Clementino pede que a Justiça exija providências da prefeitura e um prazo, sob pena de multa de R$ 1 mil por dia por prédio que não tiver o laudo. A assessoria de imprensa do executivo não se pronunciou porque não foi notificada. Não há data definida para que a Justiça acate ou não a ação da Promotoria.

Entenda o caso

A reportagem do Tem Notícias visitou prédios públicos, como o Mercadão Municipal.  Até mesmo quem trabalha no local não sabe se o local tem o alvará certifica que o prédio está dentro das normas de segurança contra incêndios exigidas por lei. O prédio tem mais de 60 anos e sem essa vistoria não poderia nem estar funcionando.

Mas não é só o Mercadão que está sem o auto. Hoje na cidade, 108 prédios municipais e oito estaduais estão irregulares sem a vistoria do Corpo de Bombeiros, como é o caso do Fórum, que continua sem porta corta fogo e a Rodoviária, que não tem hidrantes.  O prédio do Deinter 5 e do Departamento de Estrada de Rodagem (DER), também ainda não estão de acordo com as normas de segurança.

Logo depois da tragédia na boate Kiss, o Ministério Público de Rio Preto pediu ao Corpo de Bombeiros que fizesse um levantamento da situação de vários imóveis da cidade, particulares, municipais e estaduais. Na época, o relatório apontou que havia 134 prédios municipais, onze estaduais e 21 particulares irregulares.

Teatro Paulo Moura foi interditado pela prefeitura de Rio Preto (Foto: Reprodução / TV Tem)Teatro Paulo Moura foi interditado pela prefeitura de Rio Preto (Foto: Reprodução / TV Tem)

O Teatro Paulo Moura foi um deles e acabou interditado em janeiro do ano passado. Entre as pendências estavam a instalação de dispositivos de segurança e a revisão da bomba d’água de hidrantes.  Só quase um ano depois, o prédio foi liberado.

Na lista dos bombeiros aparecem também sete escolas municipais, que são frequentadas por centenas de estudantes todos os dias e também 14 unidades básicas de saúde, como a do bairro São Deocleciano e Distrito Industrial, que recebem pacientes, como crianças e idosos. Entre os prédios do Estado também estão sem alvará a Delegacia Regional Tributária, a Secretaria de Agricultura, o CDP e a CDHU.

Placa Abnt 13434-3

Sinalização Combate Incêndio Rota Fuga

sinalização sinalização porta corta fogo