Seguranca Eletrônica com Alta Qualidade

Seria possível ter um equipamento se Segurança de qualidade e ainda manter o custo baixo no Condomínio ?

Muitos Síndicos vem enfrentando este cenário com Locação de Equipamento de Segurança. Um bom Contrato de Locação deve dar manutenção e atualização do sistema gratuitamente.

Equipamentos mais locados atualmente pelo condomínios:

  • CFTV (câmera de segurança) 
  • Central de Interfones
  • Controle de Portas Biometricos e Sistema Linear HCS
  • Controle de Acesso via Internet (Saas)

Na semana passada por exemplo, houve um assalto a condomínio onde o ladrão usava uniforme de fornecedor, apesar  de ter CFTV no condomínio – ela foi eficiente ? 

Imagem de Cftv feita em assalto a condominio em Sao Luis

Imagem de Cftv feita em assalto a condominio em Sao Luis

Câmera com alta qualidade geram retorno em Segurança

Câmera com alta qualidade geram retorno em Segurança

As novas câmeras intelbras digitais Full Hd tem 2000 linhas, permitindo imagens de alta definição, elas vem com novos sensores infra inteligentes que controlam a luminosidade norturna (ideal para prédios com grandes areas externas)

Com o Infravermelho Inteligente da Intelbras o Condomínio pode ver em areas escuras

Com o Infravermelho Inteligente da Intelbras o Condomínio pode ver em areas escuras

Central Comunic Maxcom Intelbras

A Central  de interfones da Intelbrás Modelo Comunic Cp 48 é a solução ideal para Interfonia de prédios de até 48 pontos.

Central de Interfones Intelbrás modelo novo Cp 48

Central de Interfones Intelbrás modelo novo Cp 48

Ela vem sem Placa Ramal, cada placa funciona com 8 ramais.

Sua Instalação é simples  - e faz discagem de apartamento para apartamentos

O porteiro Xpe 1013 Funciona como complemento e fica ideal para discar da area externa direto para os apartamentos

 

 

Conheça também central de interfones para mais de 48 pontos

ntral Interfones Maxcom Intelbrás

  • 48 pontos dentro de sua empresa, realizando ligações sigilosas e sem custo entre os ramais.

    • Identificação de chamadas nas ligações entre ramais;
    • Programação e atualização simples através da entrada USB;
    • Possui software programador (terminal programador Intelbras – Maxcom);
    • Possui saída auxiliar para acionamento;
    • Discagem direta e sem custo de ramal para ramal;
    • Função Pânico (sinal de emergência);
    • Alterar ou programar numeração flexível direto do apartamento;
    • Transferência de ligações;
    • 8 enlaces para conversação.
    Linha comunicação condominialComunicação condominialA Intelbras oferece soluções que vão suprir as necessidades de segurança dos condomínios com qualidade e praticidade. São produtos com alta tecnologia para ampliar a segurança do patrimônio e a tranquilidadedos usuários.

    Linha comunicação condominialLinha de centrais de portariaAs centrais de portaria Intelbras permitem ligações de 48 até 656 pontos dentro de um condomínio. Esses pontos podem realizar ligações entre eles sem custo, além de usufruírem das seguintes facilidades: identificação de ramal para apartamentos, pega trote, transferência, Siga-me, Não perturbe, entre outros. As centrais possuem baixíssimo consumo de energia elétrica, são práticas de instalar e fáceis de programar.

    Linha comunicação condominial
    Linha de porteiros eletrônicos XPEOs porteiros eletrônicos permitem a comunicação com o apartamento desejado, possuem acesso por senha ou até mesmo a comunicação direta com o ramal previamente programado. Além de sua praticidade na instalação, eles possuem a qualidade e a segurança da marca Intelbras.

    Linha comunicação condominialLinha de terminaisOs terminais foram desenvolvidos especialmente para usuários das centrais de portaria Intelbras/Maxcom. Eles possuem design arrojado, são fáceis de instalar e de limpar e suas cores combinam com vários ambientes.

Segurança eletrônica: tendência é a integração das tecnologias

Especialista alerta para o caminho sem volta da associação de programas independentes de segurança

A cada dia que passa surgem novas formas de furtos, assaltos e crimes em geral. No entanto, através das novas tecnologias, as soluções de proteção para o cidadão também têm surgido quase na mesma velocidade. Segundo dados da Abese (Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança), o mercado de sistemas de segurança eletrônica no país teve de 2010 a 2015 um crescimento médio anual de 10%. E a tendência que vem se consolidando no mercado de segurança eletrônica é a integração de programas. A afirmação é da especialista no assunto, Denise Mury, presidente do Sindicato das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança do Estado do Rio de Janeiro e diretora da empresa Ser Prime. De acordo com ela, embora a integração já seja uma realidade, há ainda algumas barreiras que vão desde a questão orçamentária à cultural.

Segundo Denise, cada vez mais há demandas para que seja oferecido num mesmo sistema, mecanismos que antes atuavam de forma independente, como alarme e o sistema de acesso. Para ela, esse é um caminho sem volta, porém o avanço no mundo corporativo é maior, diferente dos condomínios residenciais. “Há todo um contexto que precisa ser considerado, dentre eles, dois se destacam: o fator financeiro e o cultural”, sinaliza.

Quanto a questão financeira ela explica que as soluções integradas são percebidas pelos condomínios residenciais como algo de custo elevado, superior ao que eles estavam acostumados, o que é natural, já que estão acoplando num mesmo sistema, duas ou três soluções que aumentam a segurança. “Em tempos de crise, qualquer acréscimo no orçamento faz a diferença. Mas, independente disso, os sistemas integrados tem sido a preferência e, passando esse momento turbulento da economia, acredito que a adoção desse formato será ainda mais alavancada”, afirma Denise, acrescentando que, enquanto isso, outras inovações, como o porteiro eletrônico digital, no qual o acesso é feito por senha pessoal, tem crescido muito, pois substitui o velho e bom interfone e com um valor mais acessível.

Mas a especialista conclui que, mesmo essa inovação tem tido resistência de alguns condomínios, já que há o receio de alguns pais quanto ao procedimento dos filhos adolescentes que podem liberar a senha para amigos, colegas ou terceiros em geral. E isso está diretamente ligado a questão cultural, outro fator apontado por Denise Mury como uma barreira que ainda deve ser vencida. “Sendo bem sincera, a questão cultural começa com a indignação de muitos em considerarem um absurdo termos que incluir em nosso orçamento, gastos com segurança, o que deveria ser garantido pelo Estado (risos). Porém, essa é a nossa realidade e vale o ditado que é melhor prevenir do que remediar”, diz. Para ela, o fator cultural vai além. Para muitas pessoas, a velocidade avassaladora das novas tecnologias é complexa e ainda não fazem parte do cotidiano. “Estamos num momento de transformação em todos os setores. As novas tecnologias representam mudanças e impactos em todos os segmentos da economia e para o cidadão é muita informação mesmo. É compreensível, mas devemos entender que no atual cenário das grandes capitais brasileiras, como o Rio de Janeiro e São Paulo, se prevenir e utilizar as novas tecnologias eletrônicas em prol de nossa segurança e da nossa família, trata-se de um mal necessário, ou se preferirem, um investimento e não um custo. Medida que pode significar a preservação de nossas vidas”, conclui a especialista.

Empresas de Segurança do Portal www.sindico.com

EMPRESAS DE PORTARIA
CONSULTORIA E PROJETOS DE SEGURANÇA
INSTALAÇÃO E LOCACAO CFTV
BLINDAGEM DE GUARITA
CONTROLE DE ACESSO
MONITORAMENTO 24 HRS