Bancos Mesas Cadeiras e Ombrelones Para Condomínios

Mesa Madeira

Bancos Madeira Butzke 2 3 Lugares - Linha Sol Ipanema

Bancos Madeira Butzke 2 3 Lugares – Linha Sol Ipanema

sergio rodrigues e butzke | um olhar para o design from bamboo on Vimeo.

Bate Bola com Portal do Síndico e Edecoração ref melhores móveis para ambientes externos

P:  Qual são os bancos mais vendidos para Condomínios ?

R:  Banco de 3 lugares Butzke – Ideal para area de lazer, churrasqueira – funciona bem para area externa, tem boa resistência e durabilidade.

P:  Cadeira Espreguiçadeiras Madeira, Alumínio ou Plástico ?

R: Eu particularmente gosto muito de madeira, acho que tem um custo beneficio excelente, gosto particularmente da linha Ipanema Butzke que pode ser empilhável, economizando espaço, combina com os bancos, cadeiras e mesas da mesma linha – e para os condomínios alto padrões tem opção de almofadas aquablock – (que podem pegar chuva)

1 (1) 24.05.2007 Butzke 2 010 _DSC2897

Almofada Espreguiçadeira Butzke

Almofada Espreguiçadeira Butzke

Banqueta Alta ideal para Area comum Condomínio

Banqueta Alta ideal para Area comum Condomínio

Ibiza (11)

Butzke Espreguiçadeira

Móveis Ambiente Externo Butzke – Cadeira Espreguiçadeira

 

Centrais de Interfones Maxcom Intelbrás Cp 24 48 112 192 352

Central Interfones Maxcom Intelbrás

R$ 165,00
 foto: Placa Ramal 16 Pontos Maxcom Desbalanceada Cp 48 112

Lei Antifumo entra em vigor na próxima semana

Cigarro: para especialistas, a medida é um avanço no combate ao hábito de fumar

Aline Leal, daAGÊNCIA BRASIL

Sinalização Lei Federal Antifumo - 9294/96

Sinalização Lei Federal Antifumo – 9294/96

Brasília - Entra em vigor na próxima quarta-feira (3) a Lei Antifumo que proíbe, entre outras coisas, fumar em locais fechados, públicos e privados, de todo o país.

Para especialistas, a medida é um avanço no combate ao hábito de fumar.

Pouco mais de 11% da população brasileira são fumantes. No Dia Nacional de Combate ao Câncer, comemorado hoje (27), a informação vem reforçar as medidas de prevenção da doença.

Com a vigência da Lei 12.546, aprovada em 2011 mas regulamentada em 2014, fica proibido fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como hall e corredores de condomínio, restaurantes e clubes, mesmo que o ambiente esteja parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou até toldo.

Se os estabelecimentos comerciais desrespeitarem a norma, podem ser multados e até perder a licença de funcionamento.

A norma também extingue os fumódromos e acaba com a possibilidade de propaganda comercial de cigarros até mesmo nos pontos de venda, onde era permitida publicidade em displays.

Fica permitida a exposição dos produtos, acompanhada por mensagens sobre os males provocados pelo fumo.

Além disso, os fabricantes terão que aumentar os espaços para os avisos sobre os danos causados pelo tabaco, que deverão aparecer em 100% da face posterior das embalagens e de uma de suas laterais.

Será permitido fumar em casa, em áreas ao ar livre, parques, praças, em áreas abertas de estádios de futebol, em vias públicas e em tabacarias, que devem ser voltadas especificamente para esse fim.

Entre as exceções também estão cultos religiosos, onde os fiéis poderão fumar, caso isso faça parte do ritual.

Nas Américas, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), 16 países já estabeleceram ambientes livres de fumo em todos os locais públicos fechados e de trabalho: a Argentina, Barbados, o Canadá, Chile, a Colômbia, Costa Rica, o Equador, a Guatemala, Honduras, a Jamaica, o Panamá, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago, o Uruguai e a Venezuela.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que cerca de 90% dos casos de câncer de pulmão, o mais comum de todos os tumores malignos, estão relacionados ao tabagismo.

A instituição estima que em 2012 foram diagnosticados mais de 27 mil novos casos da doença, considerada “altamente letal”.

Segundo o epidemiologista e consultor médico da Fundação do Câncer, Alfredo Scaff, o hábito de fumar está ligado não só a cânceres no aparelho respiratório, mas também a outros como de bexiga e intestino e pode causar outras doenças, como hipertensão e doenças reumáticas.

“A gente sempre associa o hábito de fumar ao câncer, mas não é só o câncer, são quase 50 doenças que ele pode causar, direta ou indiretamente”. Scaff lembrou que os males podem atingir a pessoa que fuma e a que está ao lado, o fumante passivo.

O epidemiologista conta que enquanto no fim da década de 80, uma pesquisa apontou que cerca de 35% da população adulta eram fumantes, esse número hoje gira em torno de 11%.

Para ele, essa redução também se deve à legislação, que impede que as pessoas fumem em qualquer lugar, e às limitações de propaganda.

“A entrada em vigor da Lei Antifumo vai limitar o lugar onde a pessoa pode fumar, isso já não permite que ela fume a todo momento. Só para lembrar, um tempo atrás, você podia fumar em avião, no ambiente de trabalho, dentro do cinema, em qualquer lugar podia puxar o cigarro”.

O especialista alerta que as pessoas precisam entender que o hábito de fumar é um vício, uma doença que precisa de tratamento. Ele ressalta que a rede pública disponibiliza em todo o Brasil medicamentos e insumos necessários para quem quer parar de fumar.

Para reforçar a importância da Lei Antifumo, a Fundação do Câncer, em parceria com a Aliança de Controle do Tabagismo, lança na semana que vem campanha informativa nas redes sociais.

A campanha visa a conscientizar a população sobre o tema e repassar informações sobre a lei.

Homem com cigarro

Protetor Estacionamento Impacto Para Garagem Condomínios

Na Loja do Síndico Você Encontra os Melhores Protetores Fundo de Vaga  - Cantoneira e mantas de borracha EVA - Ideal para proteção porta carros

Na Loja do Síndico Você Encontra os Melhores Protetores Fundo de Vaga – Cantoneira e mantas de borracha EVA – Ideal para proteção porta carros

 

Brigada de Incêndio Para Condomínios – Instrução Técnica 17

AVCB e Brigada de Incêndio: O condomínio em dia com a legislação

IT 17 Brigada de Incêndio

São raros os condomínios em dia com as obrigações de prevenção e combate a incêndio. Isso porque a maioria dos síndicos tem dificuldades em acompanhar as medidas periódicas que devem tomar para manter o edifício seguro e de acordo com a legislação. Algumas vezes até existe atenção aos equipamentos, mas a falta de treinamento faz com que a segurança fique comprometida nas situações de ocorrência de sinistros. E mais: a irregularidade coloca em risco não só a vida e o patrimônio dos condôminos, como pode levar à recusa de ressarcimento por parte da seguradora em caso de incêndio.

Melhores Empresas para certifição com Rt da Instrução Técnica 17 - para Condomínios

Melhores Empresas para certifição com Rt da Instrução Técnica 17 – para Condomínios

Quem descreve esse cenário é o consultor e auditor Waldir Pereira, engenheiro com mais de 30 anos de atuação na área, É o mesmo diagnóstico dado pelo administrador e síndico experiente, Roberto Silva. Ambos se deparam rotineiramente com o desconhecimento dos síndicos e se dedicam a conscientizá-los de suas obrigações com edificações.

“É preciso estar atento à legislação, que sofre atualizações frequentes”, afirma Silva. Os parâmetros mais recentes estão contidos no Decreto Estadual 56.819/2011 (de São Paulo), que na Instrução Técnica 17 atualiza o Regulamento de Segurança Contra Incêndio das Edificações e Áreas de Risco. “E a melhor maneira de manter o condomínio seguro e dentro da legalidade é contar com uma verificação anual feita por consultor especializado, que orientará adequações quando necessárias”, recomenda Silva.

AVCB

Todo empreendimento novo precisa passar por vistoria obrigatória e obter o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) para tirar o habite-se. Checamse todos os detalhes do sistema de prevenção e combate a incêndio – extintores, mangueiras, luzes de emergência, portas corta-fogo, sinalização etc. Uma vez em ordem, o edifício recebe o documento, que tem validade de um ano para edifícios residenciais novos e depois deve ser renovado a cada três anos.

E como renovar? A orientação é contar com a consultoria de um especialista, que irá recomendar ações caso haja algum desacordo com a lei. Em seguida, o profissional emite um laudo avalizando o sistema, recolhe-se uma taxa junto à prefeitura e solicita-se a nova vistoria do Corpo de Bombeiros.

“Se estiver tudo dentro da normalidade, gasta-se cerca de R$ 3 mil na consultoria e atualização. Por economia, muitos síndicos optam por não fazer, colocando o edifício em risco”, afirma Silva, que defende a importância de se incluir essa despesa no orçamento. Ele lembra ainda que se o condomínio sofrer com a queda de um raio e o AVCB não estiver em dia, a seguradora não irá ressarcir os danos. “E do jeito que cai raio atualmente em São Paulo, não vale a pena arriscar”, orienta.

BRIGADA DE INCÊNDIO

Outra obrigação deixada de lado é a formação, implantação, treinamento e reciclagem da Brigada de Incêndio, regulamentada pela Instrução Técnica 17. “O documento foi referenciado nas normas técnicas da ABNT e no Manual de Fundamentos do Corpo de Bombeiros. Existem orientações em função do tipo de ocupação, que determina o grau de risco. Para edifício residencial, o treinamento é básico porque o risco é baixo”, explica Waldir Pereira.

A formação da Brigada exige curso específico, realizado por empresa especializada (geralmente a mesma que prepara para o AVCB), com profissionais devidamente habilitados, e inclui: teoria e prática de combate a incêndio; teoria e prática de primeiros socorros. Segundo o especialista, a atividade deve ocorrer num campo de treinamento padronizado, com participação de um mínimo de moradores, síndico e funcionários. O condomínio, então, recebe um atestado de Brigada de Incêndio e deve passar por simulados a cada seis meses. Já a reciclagem deve ocorrer uma vez por ano, ambos coordenados pela prestadora de serviços.

Waldir Pereira defende que precisaria haver, entre os condomínios, um controle do programa de Brigada através de reuniões, com registro em ata. Mas o assunto acaba deixado de lado pelos condomínios e o sistema fica pela metade. “Ter documentação dentro da lei, mas Brigada sem treinamento, não adianta”, adverte.

OBRIGAÇÕES LEGAIS

Além do Decreto Estadual (SP) 56.819/2011, os síndicos e administradores realizado pelo coordenador de operações Fabio Gomes, do Edifício Villa Lobos, empreendimento comercial da zona Oeste de São Paulo. O material completo está disponibilizado no link http://migre.me/cVF2Ae envolve desde Diretrizes sobre Segurança e Medicina do Trabalho (fundamentais para a parte dos primeiros socorros, por exemplo), até a circular da Susep para a área de seguros.

Fonte: Direcional

As Melhores Empresas para Brigade de Incêndio em  Condomínios Você Encontra no Portal do Síndico.com

As Melhores Empresas para Brigade de Incêndio em Condomínios Você Encontra no Portal do Síndico.com

Placa Perigo NBR 18 e NBR 26

 

Placa Sinalização Perigo 440 Volts Plástico

Placa Sinalização Perigo 440 Volts Plástico

 

 

 

 

 

 

 

Placa Sinalização Perigo De Morte Alta Tensão Aluminio

Placa Sinalização Perigo De Morte Alta Tensão Aluminio

Fita Antiderrapante Escada – Fotoluminescente Neon

Fita Antiderrapante Escada Neon

Dúvidas de Manutenção:

Pergunta:  PRECISO COLOCAR FITAS ANTIDERRAPANTES NAS ESCADAS DO MEU CONDOMÍNIO. GOSTARIA DE UMA SUGESTÃO DE MARCA, SE VENDE A METRO EM ALGUM LUGAR NO RIO DE JANEIRO. OBRIGADA

Eva Pavanni – Sindica do Edificio Cartier

A Loja do Síndico – Especializada em Produtos para Síndicos  - Como Interfones, Controle Remoto Linear, Placas de Rota de Fuga e Extintores Vende e Fatura para Condomínios em todo Brasil.

A Entrega é feita via Internet – gratuitamente – E o melhor – Você só paga quando entregam

Temos Várias opções de cores:

Fita Antiderraparante Preta 

Fita Antiderrapante Amarela

Fita Antiderrapante Verde

Fita Antiderrapante Vermelha 

Fita Antiderrapante Zebrada

Fita Antiderrapante Azul

Fita Antiderrapante Cinza

Fita Antiderrapante Vermelha

Fita Antiderrapante Branca (transparente) 

Fita Antiderrapante Zebrada

Fotoluminescente Neon

Se preferir, pode vir buscar na Av Angelica 1761 6 andar – 500 mts da Av Paulista

Untitled

images (1)

images

download

PQN_3904749_1_fitaamarela

PQN_3904748_1_fitapreta21

PQN_3904713_2_fotoluminescente2

Protetor Estacionamento e Limitadores de Vagas

Protetor Borracha EVA  - Cantoneiras, Protetor Impacto, Manta EVA

Protetor Borracha EVA – Cantoneiras, Protetor Impacto, Manta EVA

Muitos Síndicos estão fazendo a proteção das garagem colocando borrachão EVA

O Sr Eli Zyng – Gerente Da Loja do Síndico – Especializada em produtos para condomínios explica que para fundo de vaga é interessante colocar 2 protetores de impacto (parachoque). Em relação a proteção da coluna, quando a mesma é quadrada se coloca a cantoneira de borracha, e quando ela e redonda opta-se pela  protetor coluna

 

Interfones Predial – Maxcom Tdmi 200

 

Interfones Maxcom Tdmi 200

Aparelho de Interfone Telefone TDMI 200

TDMI 200 – Terminal dedicado para centrais de comunicação condominial

Uso em ambientes internos para comunicação com a central de portaria

TECLADO NA BASE

USO EM MESA OU PAREDEM

Aparelho de Interfone Telefone TDMI 200

Categoria: InterfonesMarca: MaxCom IntelbrasCodigo Produto: 3614171
ISBN: 7896637624213
Por: R$ 39,00

 

 

INFORMAÇÕES DO PRODUTO

TDMI 200 – TERMINAL DEDICADO PARA CENTRAIS DE COMUNICAÇÃO CONDOMINIAL

Marca: Intelbrás Maxcom

Uso em ambientes internos para comunicação com a central de portaria

Teclado na base

Uso em mesa ou parede

Compatível com caixas 4 x 2 – fácil instalação

Textura lisa ? fácil limpeza

Volume do toque ajustável

 

TAGS DO PRODUTO