Medida visa principalmente condomínios que aumentaram o consumo. Para órgãos de defesa do consumidor e OAB, cobrança é ilegal.

22/04/2014 20h48 - Atualizado em 22/04/2014 20h48

Consumidor que gastar mais água pagará tarifa extra em junho em SP

Do G1 São Paulo

Vista da Represa Jaguari, na cidade de   Vargem, no interior de São Paulo, onde   o índice que mede o volume de água   armazenado no Sistema Cantareira   registrou 11,96% da capacidade total   dos seus reservatórios, nesta quinta-feira (10) (Foto: Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo)Vista da Represa Jaguari do Sistema Cantareira (Foto: Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo)

sindico

O governo de São Paulo confirmou nesta terça-feira (22) que o consumidor  que gastar acima da média no mês de maio vai ter que pagar uma tarifa extra na conta de junho, informou o SPTV. Esta é uma das medidas anunciadas para conter o consumo de água. O nível do Sistema Cantareira chegou nesta terça-feira a 11,9%.

O governo, no entanto, evita falar em multa. A medida vale para todos os clientes da Sabesp, mas o alvo principal são os prédios residenciais. Com a campanha de bônus para quem economizasse água, a maioria dos consumidores reduziu o consumo, mas 24% gastaram mais que o previsto. Segundo a Sabesp, este grupo é formado principalmente por condomínios.

“Suponha um prédio de apartamentos cuja conta normal seja mil reais. Se os condomínios consumirem acima da média do consumo do ano de 2013, a conta vai vir R$ 1,3 mil. Passou a média, tem esse acréscimo tarifário de 30%”, explicou Dilma Pena, presidente da Sabesp.

Segundo o secretário estadual de Recursos Hídricos, Mauro Arce, ressaltou que alguns casos de aumento no consumo poderão ser analisados. “Se tiver uma boa justificativa, como aumento da família, por exemplo; fábrica de ovos de Páscoa que teve que aumentar sua produção… Mesmo recebendo a fatura, mesmo se a fatura for paga por débito automático, é só vir aqui na Sabesp e explicada a situação a gente vai relevar sem dúvida nenhuma”, disse o secretário.

Em Franca, no interior de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin disse que a cobrança está amparada pela Lei Federal de Saneamento Básico. “Da mesma maneira que você pode fazer uma redução tributária, você também pode fazer o acréscimo. Nós não queremos arrecadar nada. Nós queremos é que não haja desperdício, que haja o uso racional da água e eu tenho certeza de que todos vão colaborar”, afirmou.

Órgãos de defesa do consumidor e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por outro lado, afirmam que a cobrança é ilegal. “A gente não pode dizer que é uma cobrança com justa causa, está certo? Que seria essa a possibilidade que a lei dá às autoridades, mas não é justa causa. Porque muitos investimentos que o governo precisaria ter feito há muitos anos para evitar essa crise no abastecimento não foram feitos”, esclareceu Carlos Thadeu de Oliveira, gerente técnico do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.

Especialista em Direito Constitucional da OAB, o advogado Dirceu Ramos considera que, neste caso, o consumidor não pode ser penalizado. “Eu acho que o Estado não pode nem deve multar, porque a responsabilidade, primeiro, é dele. Em segundo lugar, deveria haver uma previsão legal da multa para que ele pudesse cobrar”.

Outra medida, segundo o governo, para minimizar os problemas de abastecimento é o uso da água do Rio Grande, que faz parte do Sistema Billings, para abastecer bairros que recebiam água do Cantareira. A obra já começou, mas só vai ficar pronta em setembro

 

Reformas devem ter autorização de engenheiro, determina ABNT 16280

ABNT 16280 criou novas regras para evitar acidentes em obras.

Mudanças estruturais devem ter acompanhamento de profissionais.

Abnt

Abnt em Condomínios

Do G1 São Paulo

Abnt para predios

Reformas que mudem a estrutura de um apartamento ou de uma casa precisarão ter o acompanhamento de um arquiteto ou engenheiro a partir de sexta-feira (18). A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) criou novas regras para evitar alterações que abalem a estrutura de edificações e coloquem moradores em risco. Atualmente, só é necessária a autorização do síndico para a reforma começar.

Com a mudança, os condôminos que quiserem fazer alguma alteração no apartamento precisarão apresentar um escopo do trabalho ao síndico. Se houver alteração na estrutura, o síndico deve pedir uma avaliação de um engenheiro ou arquiteto e contratar o profissional para monitorar a obra.

A norma foi pensada como resultado de uma preocupação de tragédias que aconteceram em obras e reformas em edifícios, segundo a ABNT. A regra vale para qualquer tipo de reforma, sejam elas residenciais ou comerciais, dentro ou fora de condomínios.

No caso de casas fora de um condomínio, o dono do imóvel deve assumir a responsabilidade de contratar um profissional. As alterações em projetos devem ser apresentadas à Prefeitura, que só aceita as modificações mediante um responsável.

Mesmo antes da nova norma, André Fernandes avalia todos os pedidos de reforma no prédio em que é síndico no Sacomã. Ele consulta as plantas no manual do proprietário e acompanha a obra. Para ele, a nova norma será positiva. “Acho muito bom isso. Eu sou só administrador, não sou engenheiro, então divide a responsabilidade”, afirma.

 

.

Fonte>Globo

Sr Síndico – Buscando Empresas de segurança para Condomínios

TERCEIRIZAÇÃO DE PORTARIA
CONSULTORIA E PROJETOS DE SEGURANÇA
LOCAÇÃO DE CÂMERAS
BLINDAGEM DE GUARITA
VIGILÂNCIA PATRIMONIAL
CONTROLE DE ACESSO
MONITORAMENTO 24 HRS
INSUFILME PARA PORTARIA

 

 

Novas regras começam a vigorar no próximo dia 18; condômino tem que apresentar plano de obra Abnt 16280

Novas regras começam a vigorar no próximo dia 18; condômino tem que apresentar plano de obra Abnt 16280

REFORMA NO BALANCA MAIS NAO CAI
Mais cuidados. Qualquer obra de reforma, mesmo as mais simples, precisará da assinatura de um engenheiro ou de um arquiteto

Prestes a entrar em vigor, as novas regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para reforma de edificações vão aumentar sensivelmente a planilha de custos do dono do imóvel. Por mais simples que seja a intervenção, como pintura e até mesmo a instalação de ar- condicionado pequeno, o morador de um condomínio deverá apresentar ao síndico um planejamento minucioso, indicando a empresa que executará a obra, o número de trabalhadores envolvidos e seu tempo de duração. Tudo com o crivo de um engenheiro ou de um arquiteto, que deverá assinar o plano de obra.

A palavra final caberá ao síndico, no caso de edifícios residenciais, responsável por avaliar se a intervenção trará risco à segurança dos moradores. A NBR 16.280 – que passa a valer a partir do dia 18 de abril – poderá evitar tragédias como a ocorrida em janeiro de 2012 em Belo Horizonte, quando um prédio de dois andares desabou no bairro Caiçara, na região Nordeste, matando uma pessoa. Dias depois, outra ocorrência trágica marcou o país: dois prédios e um sobrado ruíram no centro do Rio de Janeiro, deixando o saldo de 20 mortos e vários feridos.

“A publicação da norma 16.280 representa uma resposta do meio técnico à justa demanda da sociedade, no sentido de se colocar um fim a ocorrências como aquela do Rio de Janeiro”, comenta Paulo Eduardo Fonseca de Campos, superintendente do Comitê Brasileiro da Construção Civil. Para promover qualquer intervenção, o condômino deverá agora apresentar uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou um Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) emitido por um engenheiro ou arquiteto.

Responsabilidades. Quanto maior o grau de complexidade da obra, segundo Campos, maior responsabilidade recairá sobre o morador. A documentação exigida é imprescindível para procedimentos de toda natureza, desde a remoção ou abertura de paredes, a utilização de ferramentas de alto impacto e alteração nos sistemas de água, gás e elétrico, assim como a geração e destinação de entulhos resultantes da reforma.

Além da burocracia, os novos procedimentos acarretarão custos extras, que vão onerar ainda mais o processo de reforma. Para a execução da obra, o morador deverá contratar uma empresa especializada, com responsável legal pelo projeto. De acordo com a tabela do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias (Ibape), somente a avaliação de um profissional qualificado para fornecer o laudo e avaliar a reforma custa, no mínimo, R$ 2.500 e a hora trabalhada desses especialistas custa, em média R$ 250. Denúncias de obras irregulares podem ser encaminhadas à prefeitura ou ao Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA).

Segurança. O consultor técnico do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon-MG) Roberto Matozinhos, que participou da formulação da NBR 16.280, pondera que os gastos extras previstos são ínfimos diante da segurança que uma empresa ou profissionais qualificados podem proporcionar.

“Promover reformas sem qualquer critério técnico ou análise de gestão pode gerar transtornos e também aumento de custos”, alerta. “Um acompanhamento técnico vai garantir a correta avaliação de toda e qualquer interferência, principalmente se há previsão de remoção de paredes ou pilares”, completa, lembrando que as novas regras valerão para qualquer tipo de edificação, seja ela residencial, comercial, particular ou pública.
Expectativa

“Zé-da-colher”. Além de listar os requisitos para antes, durante e depois de uma reforma, as novas regras da ABNT pretendem abolir do mercado os chamados “quebra-galhos” de plantão.

No Portal do Síndico Você encontra as melhores empresas Empreiteiras para Condomínios

 

 

 

Incêndio Atinge Prédio da Secretaria de Esporte Local

O fogo começou no início da manhã de ontem, e foi controlado em cerca de uma hora

INCÊNDIO teve início por volta das 7 horas

INCÊNDIO teve início por volta das 7 horas

Um incêndio foi registrado durante o início da manhã de ontem no prédio da Secretária Municipal de Esporte, Lazer e Turismo (Smelt), no Parque Iracema em Catanduva. Segundo consta nas informações registradas no Boletim de Ocorrência, o incêndio teve considerável proporção e demorou cerca de uma hora para ser controlado. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ainda não foi possível avaliar com precisão os prejuízos causados no local, mas a suspeita é que o fogo tenha começado por causa de um curto circuito em um ar-condicionado. A Polícia Cientifica também esteve no local para fazer a perícia. Não houve vítimas.
Em Março, um levantamento encaminhado pelo Corpo de Bombeiros da Catanduva apontou que 85% dos prédios públicos da cidade estão irregulares, entre eles o próprio prédio da Smelt. Na ocasião, a assessoria de Comunicação da Prefeitura informou que seria montada uma comissão para verificação e vistoria em todas as edificações. Segundo o Corpo de Bombeiros, a maioria dos prédios públicos possui projeto apresentado no órgão de segurança, no entanto, não tem o laudo de vistoria. Para isso, a Prefeitura tem de adequar o local de acordo com o projeto, solicitar a vistoria e garantir o alvará.
Guilherme Brussi
Da Reportagem Local
Foto: Divulgação-facebook

..

Placa Saída -  Fotoluminescente - S12 - 13x26cm
Placa Saída – Fotoluminescente – S12 – 13x26cm
Placa SAÍDA – Código: S12 – Fotoluminescente – Antichama – Certificada Corpo Bombeiros – Abnt – 13434-3 Tamanho 13×26 Cm -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Seta Direita - Fotoluminescente S1 - 13x26Cm
Placa Seta Direita – Fotoluminescente S1 – 13x26Cm
Placa Seta Direita (Fotoluminescente) – Código: S1 – Tamanho: 13×26 Cm – Rota de Fuga – Sentido Obrigatório -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Seta Esquerda - Fotoluminescente -  S2 - Tamanho13x26 Cm
Placa Seta Esquerda – Fotoluminescente – S2 – Tamanho13x26 Cm
Placa Seta Esquerda – Código: S2 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga – Sentido Obrigatório -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Seta Para Cima - S3 - Tamanho: 13x26 Cm
Placa Seta Para Cima – S3 – Tamanho: 13×26 Cm
Placa Seta Para Cima Codigo: S3 – Fotoluminescente AntiChama – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Seta Para Baixo - S3B Tamanho: 13x26 Cm
Placa Seta Para Baixo – S3B Tamanho: 13×26 Cm
Placa Seta Para Baixo Codigo: S3B – Fotoluminescente Anti-Chama – Tamanho 13×26 Cm -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa S8 -  Escada Descendo a Direita Tamanho: 13x26 Cm
Placa S8 – Escada Descendo a Direita Tamanho: 13×26 Cm
Placa Escada Descendo a Direita – Codigo: S8 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
plcas

Placa S9 -  Escada Descendo a Esquerda -Tamanho: 13x26 Cm
Placa S9 – Escada Descendo a Esquerda -Tamanho: 13×26 Cm
Placa Escada Descendo a Esquerda – Código: S9 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S10 -  Escada Subindo a Esquerda - 13x26 Cm
Placa S10 – Escada Subindo a Esquerda – 13×26 Cm
Placa Escada Subindo a Esquerda Código S10 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga – Sentido Obrigatório -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S11 - Escada Subindo Direita - 13x26
Placa S11 – Escada Subindo Direita – 13×26
Placa Escada Subindo Direita Código S11 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga – Sentido Obrigatório -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S17 -  Saída de Emergência  - 13x26
Placa S17 – Saída de Emergência – 13×26
Placa Saída de Emergência – Código: S17 – Fotoluminescente Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga – Sentido Obrigatório -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S18 -  Aperte e Empurre - 13x26
Placa S18 – Aperte e Empurre – 13×26
Placa Aperte e Empurre Código: S18 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga – Sentido Obrigatório -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S13E - Saída de Emergência com Seta Esquerda - Tamanho: 13x26cm
Placa S13E – Saída de Emergência com Seta Esquerda – Tamanho: 13x26cm
Placa S13E – Saída de Emergência com Seta Esquerda – Tamanho: 13x26cm

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S13D - Saída de Emergência com Seta Direita - 13x26cm
Placa S13D – Saída de Emergência com Seta Direita – 13x26cm
Placa S13D – Saída de Emergência com Seta Direita – Tamanho: 13x26cm

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S20 - Porta Corta Fogo  - 13x26 Cm
Placa S20 – Porta Corta Fogo – 13×26 Cm Lançamento
Placa S20 – Porta Corta Fogo – Tamanho: 13x26cm

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa Saída com Seta Esquerda - S12E   13x26cm
Placa Saída com Seta Esquerda – S12E 13x26cm
Placa Saída com Seta Esquerda – S12E – Tamanho: 13x26cm

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa Saída com seta direita- S12D  - Tamanho: 13x26cm
Placa Saída com seta direita- S12D – Tamanho: 13x26cm
Placa Saída – S12D -Saída com Seta Direita Tamanho: 13x26cm – Placa de Rota Fuga Fotoluminescente

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa Sinalização Lotação Máxima
Placa Sinalização Lotação Máxima
  • Placa Sinalização Lotação Máxima
R$ 19,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S4 -  Escada Rampa Subindo Direita
Placa S4 – Escada Rampa Subindo Direita
Placa Escada Rampa Subindo a Direita – Codigo: S4 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S5 -  Escada Rampa Subindo Esquerda
Placa S5 – Escada Rampa Subindo Esquerda
Placa Escada Rampa Subindo a Esquerda – Codigo: S5 – Fotoluminescente – Tamanho 13×26 Cm – Rota de Fuga -

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho
placas

Placa S15D - Acessibilidade Cadeirante  com Seta Direita - 13x26cm
Placa S15D – Acessibilidade Cadeirante com Seta Direita – 13x26cm
Placa S15D – Saída Acessibilidade Cadeirante com Seta Direita – Tamanho: 13x26cm

Placa Rota de Fuga Anti-chama Fotoluminescente Certificada

R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

 

TERCEIRIZAÇÃO DE PORTARIA
CONSULTORIA E PROJETOS DE SEGURANÇA
LOCAÇÃO DE CÂMERAS
BLINDAGEM DE GUARITA
VIGILÂNCIA PATRIMONIAL
CONTROLE DE ACESSO
MONITORAMENTO 24 HRS
INSUFILME PARA PORTARIA

 

 

Câmeras de segurança do condomínio, em SP, registraram tentativa de golpe.

Porteira de condomínio percebe golpe e impede invasão de bandidos

Porteiros bem treinados podem evitar assaltos.

Seguranca em Condomínios

Boa parte da população das grandes cidades brasileiras prefere morar em condomínios por causa da segurança. Levantamento da Receita Federal mostra que só no estado de São Paulo são mais de 57 mil condomínios.

A preocupação com segurança é cada vez maior. Quem pode, contrata empresas, instala sistemas de vídeo e coloca vigilância externa. Porém, os especialistas dizem que nada disso adianta se o porteiro do prédio não for bem treinado. Um caso que aconteceu em São Paulo só acabou bem graças à habilidade da porteira.

A porteira do condomínio achou estranha a ligação que recebeu na semana passada. Do outro lado da linha, uma mulher se identificava como uma moradora, que na verdade não existe. “Ela autorizou a suposta neta a entrar com um namoradinho. Eu fingi que acreditei. Aí eu falei que tava tudo certo, que poderia vir, que a entrada estava liberada”, relata a funcionária.

A porteira ligou para a moradora do apartamento e descobriu que o nome que a golpista deu era, na verdade, da mãe dessa moradora. “Na hora eu falei: ‘nossa! Isso é um assalto!’. Minha mãe é falecida há 12 anos. Só que a linha telefônica ainda está no nome dela e eu, por comodidade, acabei deixando”, conta a moradora.

As câmeras do sistema de segurança registraram quando o casal chegou. A moça se identificou como a neta da moradora e disse que o rapaz era seu namorado. Como não puderam entrar, os dois insistiram em frente ao prédio.

A síndica, Elaine Zanquetta, disse que tentou chamar a Polícia Militar, ligou várias vezes, mas só dava secretária eletrônica. Do lado de fora do condomínio, o casal repetia que tinha autorização para entrar. Do lado de dentro, a porteira, o zelador e a síndica se recusaram a deixar. Os dois desistiram e foram embora sem levar nada.

Nesse caso, a presença de espírito da porteira fez toda a diferença e evitou que estranhos entrassem no condomínio. “O ponto vital da segurança do condomínio ainda é a barreira humana, que é a portaria, o funcionário que está a frente de tudo”, afirma a síndica.

No caso que aconteceu no Carnaval, em um bairro central da cidade, o morador não teve a mesma sorte. Três ladrões convenceram o porteiro que eram convidados de um morador que estava viajando. O porteiro tentou entrar em contado, mas não conseguiu e acabou permitindo a entrada dos bandidos. Os ladrões levaram jóias, relógios, dinheiro e eletrônicos. Três suspeitos foram presos e vários objetos recuperados.

Funcionários bem treinados e equipamentos modernos são essenciais para a segurança de um prédio, mas o papel do morador também é muito importante. Todo condomínio tem regras e procedimentos e quando eles são quebrados, a segurança fica comprometida.

“Por exemplo, chegou uma visita em casa e o porteiro vai segurar a visita lá fora até conseguir contato com o morador. E o morador fica bravo, desce na portaria e fala: ‘você deixou minha mãe dez minutos na rua, nunca mais faça isso’. O que acontece é que o porteiro fica com medo e na próxima vez não cumpre o procedimento”, alerta Márcio Rachkorsky, especialista em segurança de condomínios.

A produção do Jornal Hoje procurou a Polícia Militar para saber por que os moradores não conseguiram falar com nenhum atendente. A PM respondeu que está apurando o que aconteceu.

O condomínio entregou as imagens do sistema de segurança para a polícia e registrou um boletim de ocorrência. O caso está sendo investigado.

Fonte>Globo

Sr Síndico – Buscando Empresas de segurança para Condomínios

TERCEIRIZAÇÃO DE PORTARIA
CONSULTORIA E PROJETOS DE SEGURANÇA
LOCAÇÃO DE CÂMERAS
BLINDAGEM DE GUARITA
VIGILÂNCIA PATRIMONIAL
CONTROLE DE ACESSO
MONITORAMENTO 24 HRS
INSUFILME PARA PORTARIA

 

 

SAÍDAS DE EMERGÊNCIA – INDICAÇÃO LUMINOSA

Incêndios. O alerta sempre vem da pior maneira.

balizadora

Numa cadeia de decisões ou de informação é importante para a formação de uma cultura de segurança e prevenção, não apenas relacionada á incêndios, mas a uma premissa básica para “não se colocar em situação risco”.

Luminaria de Led SAÍDA

A norma que define diretrizes para Saídas de emergência em edifícios” é a NBR 9077.

Ela trata das normas e exigências para edificações que permitam o acesso ao público ás saídas externas e saídas de emergência além da sinalização e itens de segurança.

A sinalização de seus componentes podem ser fotoluminecentes ou iluminadas.

Abaixo esta transcrita parte da norma no que se refere aos acessos, sinalização dos dispositivos e iluminação de emergência.

 

foto Placa Certificada  Rota Fuga - S17 - Saída de Emergência   - 13x26 cm

 

R$  9,00

 

4.5 Acessos

4.5.1 Generalidades

4.5.1.1 Os acessos devem satisfazer às seguintes condições:

a) permitir o escoamento fácil de todos os ocupantes do prédio;

b) permanecer desobstruídos em todos os pavimentos;

c) ter larguras de acordo com o estabelecido em 4.4;

d) ter pé-direito mínimo de 2,50 m, com exceção de obstáculos representados por vigas, vergas de portas, e outros, cuja altura mínima livre deve ser de 2,00 m;

e) ser sinalizados e iluminados com indicação clara do sentido da saída, de acordo com o estabelecido nesta Norma.

 

Luminaría Led

 

4.13 Iluminação de emergência e sinalização de saída

4.13.1 Iluminação das rotas de saída

As rotas de saída devem ter iluminação natural e/ou artificial em nível suficiente, de acordo com a NBR 5413.

Mesmo nos casos de edificações destinadas a uso unicamente durante o dia, é indispensável a iluminação artificial noturna.

4.13.2 Iluminação de emergência


4.13.2.1 A iluminação de emergência é obrigatória nos acessos e descargas:

a) sempre que houver exigência de escadas enclausuradas (ver Tabela 7 do Anexo);

b) quando estas rotas de saída ultrapassarem 30 m,
excetuadas as edificações de ocupação A (residencial);

c) em qualquer edificação não-residencial, classe Y;

d) em todas as edificações classe X, exceto casas unifamiliares (A-1).

 

4.13.2.2 A iluminação de emergência é obrigatória nas escadas destinadas a saídas de emergência, nos seguintes casos:

a) sempre que estas escadas não tiverem iluminação natural, exceto em edificações de ocupação A, classificadas ao mesmo tempo em P e L ou M;

b) quando estas escadas forem enclausuradas (EP, PF);

c) nas escadas NE em edificações das classes X e Y, exceto prédios L.

 

led

4.13.2.3 A iluminação de emergência deve ser executada obedecendo à NBR 10898.

4.13.3 Sinalização de saída

Extraido da web – NBR-0977 / DEZ 2001

A utilização de iluminação de emergência vai além da atitude meramente obrigatória par conseguir o alvará de funcionamento.

É acima de tudo de uma atitude de responsabilidade social, ainda mais que, havendo a implantação dos pontos obrigatórios o incremento de pontos adicionais enaltece a imagem pública e profissional do estabelecimento e de seus gestores.

A instalação de pontos de iluminação e sinalização de emergência varia de preço conforme o tipo e modelo de seus componentes. Mas o principal diferencial da instalação é a infra estrutura adequada.

A tecnologia LED disponível hoje no mercado permite uma gama de variações tanto no implemento de bloco autônomo e balizadores como na indicação de saídas e acessórios como extintores e acionadores.

 

saida

O sistema de alarme de incêndio é o principal item de prevenção e monitoramento das áreas seguradas, mas como nosso tema é a sinalização e iluminação de emergência não entraremos em detalhes desse item.
A mão de obra para instalação da infra estrutura deve custar algo em torno de R$30 a R$50 o metro linear (estruturas aparentes).

Para blocos autônomos, balizadores e placas luminosas em torno de R$160 cada unidade

Certamente devem ser contratadas empresas e profissionais qualificados para a realização de tais serviços.

Sr Síndico – Buscando Empresas Para Combate Incêndio:

AVCB- AUTO DE VISTORIA
BRIGADA DE INCÊNDIO
PLACAS DE SINALIZAÇÃO
ALARMES CONTRA INCÊNDIO
VENDA DE EXTINTORES E EQUIPAMENTOS
RECARGA DE EXTINTORES

 

 

 

Internauta flagra pintores sem proteção em reforma de prédio

Internauta flagra pintores sem proteção em reforma de prédios

Homens não usavam os equipamentos de segurança, em Jundiaí.

Sindicato da Construção Civil fala da necessidade de prevenção.

Falta de equipamentos de segurança é vista em obra (Foto: Arquivo pessoal/ TEM Você)Falta de equipamentos de segurança é vista em obra (Foto: Arquivo pessoal/ TEM Você)

Um flagrante de falta de segurança no trabalho foi registrado nesta quarta-feira (02), na Vila Rami, em Jundiaí (SP). Dois homens que realizavam a pintura das paredes de duas concessionárias de veículos chamavam a atenção de quem passava pelas ruas por trabalharem em locais altos sem os equipamentos de segurança necessários para realizar as tarefas. As imagens foram enviadas por um internauta por meio do aplicativo TEM Você.

O internauta, que preferiu não se identificar, conta que achou um absurdo a falta de segurança dos trabalhadores. “Eles não tinham praticamente nada que contribuísse com a segurança deles, nem mesmo o capacete. Há poucos dias vimos o exemplo triste da morte na Arena Corinthians e mesmo assim as empresas não tomam providências para garantir a vida de seus empregados”, explica.

Trabalhador não tem equipamentos básicos de segurança (Foto: Arquivo pessoal/ TEM Você)Trabalhador não tem equipamentos básicos de

segurança (Foto: Arquivo pessoal/ TEM Você)

Segurança

Procurado pelo G1 para analisar as imagens, o Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (SindusCon) explicou que em obras com andaimes e cadeiras suspensas, o trabalhador precisa usar capacete, calçado de segurança, cinto tipo paraquedista, trava quedas e talabarte.

O sindicato ainda informou que nas fotos não é possível ver nenhum ponto de ancoragem, nem linha de vida, o que indica que não foi realizada uma análise do risco. Esse cálculo deveria ser realizado por um profissional legalmente habilitado.

Empresa

A empresa responsável pelas concessionárias informou, em nota, que a reforma é feita por uma terceirizada, e que já solicitou a regularização da situação dos trabalhadores. Caso  a prestadora de serviços não cumpra, encerrará o contrato.

Fonte: Globo.com

As Melhores Empresas de Pinturas o Síndico Encontra no Portal do Síndico.com

 


Para solicitar cotações SOLICITAR COTAÇÃO”.
» MARCAR TODOS    » DESMARCAR TODOS

fachada Five Star Pintuars
Especializado em Pinturas
condominios Real Park
A REAL PARK é uma empresa especializada com 15 anos de profissionalismo, sempre atuando no ramo de engenharia de manutenção e reformas na construção civil.
pintura Construsan
Especializado em Pinturas e Restauração de Fachadas
pintura PGR
 Especializado em Pintura
sindco Reforma e Pinturas
Especializado em Reformas e Pinturas
restauração IMPECO
Especializado em Impermeabilização, Reforma e Pintura
predios RCR Serviços Pinturas
 Especializado em Pintura
sindico Protec
No mercado desde 2006 a PROTEC, tem como objetivo dar segurança e qualidade em prestação de serviços para condomínios, com soluções eficientes e com um atendimento personalizado e focado nas necessidades de nossos clientes.
sindico C&C Pinturas
Atuando há mais de 18 anos, a C&C Pinturas é constituída por profissionais com larga experiência no mercado de serviços da construção civil e manutenção predial, trabalhando com Engenheiro Civil, perito em edificações IBAPE, SP.
predio Repinte
A Repinte oferece soluções compatíveis com as necessidades de cada condomínio, tanto na metodologia de execução dos serviços, quanto nos custos e nos prazos propostos. Atua nas áreas de pinturas externas, internas e garagens, texturizações, restaurações, lavagem de pastilhas/cerâmicas/vidros, tratamento de concreto aparente/tijolo aparente e pequenas obras civis em Condomínios Residenciais e Comerciais.

 

 

 

Incêndio de grandes proporções toma conta de favela na zona leste de SP

Dezoito viaturas do Corpo de Bombeiros foram enviadas ao local para conter as chamas

O Estado de S. Paulo

Um incêndio de grandes proporções toma conta de barracos em uma favela na região da Penha, zona leste de São Paulo. O incêndio interdita totalmente a Rua Cirino de Abreu, sob o Viaduto Engenheiro Alberto Badra. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o fogo começou por volta das 15h30 em um barraco e não há vítimas relatadas. Foram empenhadas 18 viaturas ao local.

 

Sinalização Rota de Fuga Fotoluminescente Abnt 13434-3

Sinalização Rota de Fuga Fotoluminescente Abnt 13434-3

 

Sr Síndico – Buscando Empresas Para Combate Incêndio:

AVCB- AUTO DE VISTORIA
BRIGADA DE INCÊNDIO
PLACAS DE SINALIZAÇÃO
ALARMES CONTRA INCÊNDIO
VENDA DE EXTINTORES E EQUIPAMENTOS
RECARGA DE EXTINTORES

 

 

 

Condomínios instalam medidores individuais para controlar gastos

Moradores passaram a economizar água e gás.

Instalação depende de arquitetura do prédio.

Do G1 São Paulo
Sindico - Individualização Agua

Moradores de um prédio na Vila Andrade, Zona Sul de São Paulo, instalaram medidores individuais de água e gás em cada apartamento. A medida, feita há 5 anos, serviu para evitar o desperdício e também o prejuízo que alguns sofriam em razão do medidor coletivo.

Teve uma boa queda de consumo aí, numa faixa de 30% inicialmente”, conta o engenheiro Alexandre Bariani, síndico do prédio. Segundo ele, os moradores mudaram de hábitos quando passaram a perceber quanto consomem de água e gás. “Descobrimos que num apartamento, toda quarta-feira, tinha um consumo exagerado. Era a avó, que fazia o papel da babá, que enchia a banheira para o neto, esvaziava, colocava o outro neto. E aí cortou esse agrado e a conta do condomínio abaixou”, afirma Bariani.

Todas as informações sobre quanto cada apartamento gasta ficam disponíveis em um site, à disposição do síndico. Dessa forma, os moradores podem consultar o consumo e realizar mudanças na rotina.

A instalação dos medidores individuais depende da arquitetura de cada prédio. “Os prédios, projetos mais antigos, ainda necessitam de uma adequação hidráulica, o que faz com que seus custos sejam maiores”, afirma o especialista em técnicas de medição de água Marcos Aurélio Teixeira. Segundo ele, projetos mais fáceis podem custar cerca de R$ 400. Já os mais complexos, podem chegar a R$ 3.000.