Placa Lixo Reciclável Lixeira

Sinalização Lixo e Lixeira

Sinalização Lixo Reciclável Papel

Sinalização Lixo Reciclável Papel

Sinalização Lixo Reciclável Vidro

Sinalização Lixo Reciclável Vidro

Sinalização Lixo Reciclável Plástico

Placa Jogue O Lixo No Lixo  Aluminio

Placa Sinalização Jogue o Lixo No Lixo

Sinalização Material Reciclável

Sinalização Material Reciclável

 

Sinalização Lixo   Orgânico

Sinalização Lixo Orgânico

 

Sinalização Jogue Lixo No   Lixo

Sinalização Jogue Lixo No
Lixo

Sinalização Lixeira

Sinalização Lixeira

 

Sinalização Reciclável Lixo Orgânico

Sinalização Reciclável Lixo Orgânico

 

Sinalização Lixo Reciclável Plástico

Sinalização Lixo Reciclável Plástico

 

 

Sinalização Mantenha Este Local Limpo

Sinalização Mantenha Este Local Limpo

Sinalização Lixo Para Copos

Sinalização Lixo Para Copos

Sinalização Proibido Jogar Lixo

Sinalização Proibido Jogar Lixo

Sinalização Lixo Reciclável Plástico

Sinalização Lixo Reciclável Plástico

Placa Reciclável Vidro

Placa Reciclável Vidro

Condomínios devem ter espaço reservado para armazenar o lixo

28/01/2014 11h55 - Atualizado em 28/01/2014 13h55

Quem não respeita horários de coleta na rua pode pagar multa.

Márcio Rachkorsky responde dúvidas sobre o assunto no SPTV.

Do G1 São Paulo

Cuidar da coleta de lixo nos condomínios é um desafio para os síndicos. Muitos prédios não tem espaço adequado para que os moradores coloquem os saquinhos. Outros usam uma lixeira de ferro, na calçada, o que é proibido.

Moradores de um condomínio no Sacomã, na Zona Sul de São Paulo, que não possui espaço para lixeira, têm de levar o saquinho direto para o térreo. Mas a regra não agrada a todo mundo, como mostrou reportagem do SPTV desta terça-feira (28).

“Ele têm inconvenientes, como o aumento do uso de energia, de elevador, respingos que algum morador pode deixar cair. Então nós estamos implementando a coleta ativa. Nós vamos até o morador e tiramos o lixo no horário determinado. Se o morador não puder tirar o lixo, aí sim ele continua entregando no mesmo sistema”, explica o síndico André Fernandes.

Enquanto a mudança não vem, muita gente leva o lixo para o depósito, onde também tem espaço para pilhas, baterias e para óleo.

Só que do lado de fora do condomínio, a situação é completamente diferente. Tem lixo até na calçada, o que é muito desagradável e atrapalha a circulação dos pedestres. Fora que a lixeira de ferro é irregular. O certo seria ter um lugar fechado, como uma casinha, perto do muro e com fácil acesso coletor.

A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) recomenda que os condomínios que não têm um local apropriado deixem o lixo na calçada, duas horas antes do caminhão passar, ou às 18h, se a coleta for à noite. As lixeiras de ferro foram proibidas em 2005, por ocupar um grande espaço das calçadas.

“A gente não tem uma administração, uma coordenação disso com a Prefeitura. Talvez se a gente tivesse um esquema de coordenar isso com a Prefeitura isso poderia mudar. Mas nós não temos”, explica Fernandes.

Num condomínio do Ipiranga, na Zona Sul, a síndica arrumou uma solução, mas ela conta com a boa vontade do coletor. “Ele é recolhido, à noite, e o próprio lixeiro que faz o recolhimento da rua, ele tem uma chave. Então ele abre nosso depósito, tira todo o lixo, não faz sujeira, não fica nada esparramado”, conta a síndica Rosângela Grafetto.

Os condomínios que não respeitam os horários para colocar o lixo na rua podem pagar multa que varia de R$ 600 a R$ 15 mil. A Amlurb ressalta que a fiscalização é feita pelas subprefeituras.

Jogue Lixo no Lixo  - Alumínio - 12x12
Jogue Lixo no Lixo – Alumínio – 12×12
Placa Jogue o Lixo no Lixo – Alumínio 12×12 – Sinalize 900 AY
R$ 5,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Lixo Orgânico - Alumínio -12x12
Placa Lixo Orgânico – Alumínio -12×12
Placa Lixo Orgânico – Alumínio -12×12 – Sinalize: 900 BA
R$ 5,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Material Reciclável
Placa Material Reciclável
Placa Material Reciclável – Tamanho: 15cm x 20 cm Em Plástico
R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Reciclável Plástico
Placa Reciclável Plástico Lançamento
Placa Reciclável Plástico – 15×20 cm – Poliestireno – Sinalize: 220bk
R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Reciclável Vidro - Plástico - 15x20
Placa Reciclável Vidro – Plástico – 15×20
Placa Reciclável Vidro – Plastico – 15×20 cm 220 Bp
R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Material Reciclável - Alumínio - 12x12
Placa Material Reciclável – Alumínio – 12×12
Placas Material Reciclável – Alumínio – 12×12 cm – Sinalize: 900 AZ
R$ 5,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Reciclável Metal
Placa Reciclável Metal
Placa Reciclável Metal – Plastico Rígido 15×20 cm – Sinalize 220 Bq
R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Reciclável Papel - 15x20 cm - 220 Bo
Placa Reciclável Papel – 15×20 cm – 220 Bo
Placa Reciclável Papel -Plastico Rígido 15×20 cm
R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Lixeira - Alumínio - 5x25
Placa Lixeira – Alumínio – 5×25
Placa Lixeira – Alumínio – 5cm x 25cm – Sinalize: 100 DI
R$ 5,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Lixo Para Copos
Placa Lixo Para Copos
Placa Lixo Para Copos – Plastico – 15x20cm – Sinalize: 220AR – Sinalização Para Limpeza Lixo
de R$ 6,00 por R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Proibido Jogar Lixo
Placa Proibido Jogar Lixo
Placa Proibido Jogar Lixo – em Plastico Rígido – Sinalização Controle de Lixo
de R$ 6,00 por R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Lixo Orgânico
Placa Lixo Orgânico
Placa Lixo Orgânico – Plastico 15cm x 20cm
de R$ 6,00 por R$ 4,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Lixo Reciclável Plástico
Placa Lixo Reciclável Plástico
Placa Lixo Reciclável Plástico 15cm x 20cm – PS
R$ 6,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Mantenha este local limpo
Placa Mantenha este local limpo
Placa Mantenha este local limpo – em Aluminio – 5 x 25cm
R$ 5,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Mantenha Este Local Limpo
Placa Mantenha Este Local Limpo
Placa Mantenha Este Local Limpo – 12x12cm – em Aluminio
R$ 7,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

Placa Jogue Lixo no Lixo
Placa Jogue Lixo no Lixo
Placa Jogue Lixo no Lixo – Plástico – 20cm x 25cm – Sinalize: 220AQ
R$ 5,00
Clique para ver detalhes
Clique para adicionar ao carrinho

 

Condomínios de luxo jogam esgoto irregular no litoral de São Paulo

Qualidade das praias. São 12,5 milhões de litros de dejetos por dia que deveriam estar sendo tratados, mas, ao contrário, estão contaminando água e solo, segundo dados da Sabesp; ao todo, as cidades litorâneas têm cerca de 25 mil imóveis nessa situação

2743 casas não solicitaram conexão em São Sebastião - Tiago Queiroz/Estadão
Casas de mais de 200 metros quadrados, com quatro dormitórios e piscina, localizadas em condomínios na beira da praia e cujo valor pode chegar a R$ 11 milhões. Quem vê tanto luxo e exclusividade não imagina que imóveis desse tipo descartem esgoto irregularmente, mesmo tendo à sua disposição uma rede coletora de dejetos.

Dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apontam que as cidades litorâneas têm cerca de 25 mil imóveis nessa situação. Considerando que cada residência produz, em média, 500 litros de esgoto por dia, o litoral tem hoje 12,5 milhões de litros de dejetos que deveriam estar sendo tratados, mas, ao contrário, estão contaminando água e solo.

Na maioria dos casos, são residências construídas antes de a região receber uma rede coletora de esgoto e que não fizeram a ligação ao serviço após ele começar a ser oferecido.

“Alguns são moradores de áreas mais carentes, que não têm condições de arcar com os custos das obras necessárias para a adaptação do imóvel. Mas há também muitos casos de imóveis de alto padrão que não fazem a ligação porque não querem mexer na estrutura da casa ou não querem ter acréscimo na conta”, diz Pedro Fernando Ponce, gerente de divisão de Caraguatatuba da Sabesp. O município é o que tem o maior número de imóveis com ligações pendentes: 7.880. Parte delas está em bairros de classe média alta, como Centro, Martim de Sá e Indaiá, onde há rede coletora há mais de 15 anos.

A Sabesp não cobra para fazer a ligação da casa à rede coletora, mas o morador precisa gastar, em média, R$ 1,8 mil com a reforma do imóvel para que ele possa ser conectado à tubulação. O proprietário tem um prazo de 30 dias para solicitar a conexão após ser comunicado pela Sabesp sobre a liberação da rede coletora em seu bairro. Moradores de baixa renda podem participar de um programa estadual em que as obras são gratuitas.

São Sebastião. Na praia da Baleia, uma das mais badaladas de São Sebastião, no litoral norte, a rede de coleta de esgoto foi liberada para conexão em outubro, mas dezenas de condomínios ainda não estão ligados.
Em um deles, na beira da praia e onde cada uma das quatro casas vale cerca de R$ 11 milhões, o esgoto é descartado e tratado por meio de uma fossa séptica. Um dos funcionários do local diz que o condomínio já providenciou a regularização com a Sabesp, mas que as obras ainda não foram feitas porque estão vetadas durante a temporada. “Os moradores não querem reformas durante o período de férias porque é o período que eles vêm para cá. Agora, só depois do carnaval”, disse.

Em toda a cidade, há 2.743 casas que não solicitaram a conexão, o terceiro maior número do litoral. Na segunda posição, aparece São Vicente, na Baixada Santista, com 5,6 mil imóveis nessa situação.

Fonte: Fabiana Cambricoli, Enviada Especial / SÃO SEBASTIÃO – O Estado de S.Paulo